A Síndrome de Estocolmo

1)      O que é a síndrome de estocolmo?
E um estado psicológico onde uma pessoa vítima de seqüestro passa para o lado do seqüestrador, desenvolvendo simpatia, identificação ou qualquer aproximação ao criminoso.

2)      Como ela se desenvolve?
Normalmente como uma “estratégia”da vítima para defender-se usando gentileza, passividade e atenção. Existe até um jargão que descreve essa atitude: “relaxa e goza”.
A doença surge quando, com o passar do tempo, a vítima começa a esquecer que estava representando e a repetição, ou seja, o costume diário transforma o que seria uma tragédia em uma simples rotina, onde um passa a fazer parte da vida do outro.

3)      Qualquer pessoa pode ter ou apenas alguém que já tenha problemas psicológicos?
Esta doença é reconhecida pela Antropologia Cultural como sendo inerente ao ser humano, portanto, qualquer pessoa sadia pode desenvolver esta síndrome.

4)      Quais são os sintomas?
Qualquer sentimento de afeto, identificação, defesa, formação de vínculo ou intimidade para com o seqüestrador.

5)      Ela é momentânea ou dura por um longo período de tempo?
A maioria dos portadores desta síndrome manifesta sintomas enquanto ainda estão emocionados com o que aconteceu.
São raros os casos onde a vítima apaixona-se pelo seqüestrador e passa para o mundo do crime. Como Patty Hearst em 1974, por exemplo.

6)      Ela é comum?
Sim, mas devemos considerar que ela existe com maior freqüência em ambientes de guerra, campos de concentração, pessoas que são submetidas à prisão por familiares, vítimas de abusos, como mulheres e crianças submetidas à violência doméstica.

7)      Qual é o tratamento para o problema?
A maioria das vítimas não desenvolve traumas ou complexos. O tratamento pode ser a retomada de consciência da real situação. Identificar quem é cada pessoa e o qual o papel que cada um desempenhava. Esclarecer o fato, de maneira que as defesas desenvolvidas pela vítima sejam compreendidas como força e não fraqueza.

8)      Que tipo de conseqüências o problema pode trazer para a vida da pessoa?
Existem casos graves como perda de identidade, esquizofrenias ou psicose, mas para pessoas que já tinham potencialmente estas tendências. Como foi citada acima, a maioria das pessoas não desenvolve traumas com esta síndrome.

9)  A partir da síndrome é possível desenvolver outros problemas como síndrome do pânico ou depressão?
Apenas para pessoas que já apresentavam potencialmente estas tendências.

10)  Dicas para lidar com alguém com a síndrome de estocolmo.
Procure entender que se trata de um mecanismo de defesa da própria mente da pessoa. Não é uma doença grave, mas uma confusão emocional que qualquer pessoa pode desenvolver ao passar por um seqüestro.
Um tratamento profissional deve ser buscado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s