Hormônios femininos.

MULHERNem toda a mulher sabe que quanto mais feminina ela for mais saúde terá, porque o estrogênio, hormônio que torna a mulher feminina, funciona como um verdadeiro maestro do seu organismo.
Segundo a Fisiologia, a produção do estrogênio começa na adolescência e diminui na menopausa.
Responsável pelo equilíbrio e a distribuição das gorduras no corpo e no sangue, tais como colesterol e triglicérides, textura da pele, fixação do cálcio nos ossos e muito mais. Evita a aparição de doenças, além de desenvolver seus naturais traços femininos.
Ao contrário do que muita gente pensa, o responsável pela sensualidade e a atração sexual é a testosterona, que a mulher também produz e continua produzindo depois da menopausa, por isso a não necessária diminuição do apetite sexual nesta fase.
Na psicologia, a produção do estrogênio pode ser estimulada, através da simples vontade de ser feminina e de conviver com esse universo.

Para o psicólogo Mauro Godoy, a relação que a mulher tem com sua própria feminilidade, torna-se uma história romântica no decorrer da vida, mas nem sempre com um final feliz. Quanto mais bem sucedida se é como mulher, mais estímulo haverá para continuar tendo os ingredientes da feminilidade, como sensibilidade e delicadeza, bem como a vontade de se realizar no amor. Um jeito de canalizar e então fluir o estrogênio.
Já o fracasso amoroso, ou a dificuldade em ser feminina, podem fazer com que a pessoa abandone o lado mulher, substituindo-o por outra postura, como profissional, masculina ou mesmo maternal. Sendo que esta última é gerada pela progesterona, hormônio também produzido entre a adolescência e a menopausa, com a função de preparar o interior do útero para a gestação, responsável pela maternidade, torna a mulher matrona, protetora, enfim a grande mãe.

“É muito comum encontrarmos casais apaixonados até surgirem os filhos, depois o homem vira o pai e a mulher assume ser somente mãe. Às vezes, esta anulação vai além das inibições sexuais e atingem a própria identidade da pessoa, quando se é mãe 24 horas por dia, durante anos”, explica Godoy.

O especialista finaliza revelando que o organismo conta com uma regra: Quanto mais se usa, mais se tem. Por isso, a produção do estrogênio depende da simples vontade da mulher administrar a sua parte feminina, com os outros e principalmente consigo mesma. Assim, poderá evitar complicações como a depressão, irritabilidade, problemas cardiovasculares, ondas de calor, osteoporose, entre outras doenças causadas pela falta deste importante hormônio.

Mauro Godoy


Artigos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s